de olho no Alecrim

O Mercado Público do Alecrim

O Mercado Público do Alecrim
Boa tarde,

Já ouvi dizer que: se o que você procura na cidade não encontra, no Alecrim encontrará; é verdade. Com ruas setorizadas e especializadas em vários segmentos – peças automotivas, material para construção, eletroeletrônicos, móveis novos e usados, entre outros. Por essas e outras é o bairro de maior arrecadação de ICMS do município – 65%.

A maior feira livre da cidade, é a do Alecrim, ocupa quatro quarteirões (dos grandes) da Avenida 1.

Ônibus? Nossa, acho que todas as linhas passam por aqui.

Agora mesmo, comemorando-se os festejos do centenário do bairro, que nasceu em 23 de outubro de 1911, um dos derradeiros eventos será realizado no Mercado Público do Alecrim – o lançamento do documentário Cais do Sertão, de Paulo Laguardia.

O Mercado do Alecrim tem o nome oficial de Mercado Antonio Carneiro, é mais conhecido como Mercado da 6 (referencia a Avenida 6 – antiga denominação da atual Rua dos Canindés), é um local onde se encontra comércio e serviços, originalmente diversificados. Lá encontramos: praça de alimentação; comércio de secos e molhados, verduras e frutas, carnes bovina e caprina, aves, peixes, mangaio, artigos de couro, cerâmica, e, materiais diversos para decoração; além de artesãos que lá exercem suas atividades e trabalham com materiais diversos – cordas, cerâmica, gesso, cipó e fibras; na área de serviços, o forte são os sapateiros e conserto de eletrodomésticos. Até ponto de taxi têm.

Dois anos de residência na cidade, e, percebemos a importância do bairro do Alecrim. Recém-chegados, optamos por nos instalarmos no Mercado da 6.

Ceiça é artesã e produz artesanato diversificado, e, no Mercado encontramos uma gama de materiais base para desenvolvimento de suas criações, favorecendo em muito a escolha para instalação da Papary Ateliê.

Como subsidio, para este artigo, fiz algumas pesquisas e conversas com permissionários antigos do Mercado. É unanime o ápice e a “queda” do movimento nos Mercados Mercados Municipais. O principal fator apontado: a criação e instalação de grandes redes de supermercados.

Acreditamos no potencial no Mercado da 6. É o maior da cidade e está muito bem situado. Pensando assim, acreditamos que pequenas e variadas ações podem trazer nova vida ao local. Estamos empenhados nisto, e uma destas ações, para divulgação, aconteceu recentemente: conhecemos Simone Muniz, de Maceió, que organizava um evento no Centro de Convenções do Hotel Praiamar – a Nordeste Culinária. Apesar do nome, pessoas de várias regiões do Brasil compareceram, além de outras regiões do estado. Vimos no evento uma possibilidade de visualização, não só da Papary Ateliê, como o Mercado de forma ampla. Para decorarmos o evento, nos foi cedido um espaço, e nele, utilizamos materiais que qualquer um encontraria no Mercado. No primeiro dia do evento, foram distribuídos mais de 400 cartões. Estranhamos que, por parte dos visitantes locais, muitos até conheciam o lugar, mas nunca entraram e nem sabiam da variedade de produtos.

A mais recente ação, de integração do pessoal do Mercado, especificamente entre as mulheres, foi a Festa do Dia das Mães, contou com a colaboração de todos permissionários, administração e beneficiados diretos e indiretos das atividades no local com doações de brindes, que foram distribuídos entre as participantes, bebidas e petiscos. Sem exceção, todas mães/mulheres participaram.

Outra ação, para divulgação direta da Papary Ateliê e indireta do Mercado, é feito através das redes sociais na internet, e está trazendo resultados satisfatórios, dia a dia temos a presença de alguém que nos conhece ou visita pelos endereços:
www.facebook.com/ceicagrilo ou no https://twitter.com/PaparyAtelie.

Esporadicamente, grupos de turistas aparecem, mas, para atendê-los é preciso dar novo formato ao local, fazer adaptação de produtos a serem vendidos, e, até mudanças de tratamento interpessoal.

Enfim, cremos que, devido importância na história do bairro, de seu Mercado, estamos no rumo certo, para resgatarmos o que de melhor ele tem.

Autor: Papary Ateliê

 

Co2 Comunicação